Regimento Interno do Itemol

REGIMENTO INTERNO DO ITEMOL

Capítulo I – Das Disposições Preliminares do Regimento Interno do Itemol

Art. 1º – O presente Regimento Interno o Itemol tem por finalidade disciplinar suas atividades e funcionamento, delimitando e especificando as responsabilidades, atribuições e competências visando o ensino teológico de excelência aos seus alunos, bem, como congregar os capelães e teólogos, cumprindo o determinado nas normais contratuais do Instituto Teológico Monte das Oliveiras Ltda ME (CNPJ 13.277.548/0001-25 e Inscrição Municipal (RJ): 6.009.675-9).

Capítulo II – Das naturezas e fins

Art. 2º – O Itemol tem as seguintes finalidades:

1) Ser uma instituição evangélica de ensino teológico tem finalidade propedêutica, isto é, visa apenas instruir e preparar homens e mulheres para a obra de Deus, cumprindo a ordem imperativa de Jesus: “Ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que vos tenho mandado” (Mt 28.19-20); não tendo nenhum valor para outros fins que não seja o serviço eclesiástico, de natureza religiosa ou de iniciação confessional.

2) Ser reconhecido como uma referência nas áreas de pedagogia e teologia através da educação presencial, semipresencial e a distância utilizando tecnologias modernas de ambientes virtuais de aprendizagem (AVA).

3) Ser reconhecido como referência na defesa dos interesses dos teólogos e capelães, na defesa apologética dos assuntos atuais que envolvem a igreja cristã, na obra missionária e na divulgação dos trabalhos acadêmicos dos membros filiados.

4) Ser uma instituição que congrega os capelães e, ordinariamente, os teólogos formados em níveis Básico e Superior em Teologia em cursos livres ou reconhecidos pelas autoridades competentes e, extraordinariamente, os estudantes dos cursos de teologia nos mesmos níveis acima.

a) As filiações dos membros serão em caráter voluntário mediante o pagamento da taxa de inscrição e da anuidade a ser estipulada pelo Diretor.

b) O desligamento do membro filiado ocorrerá nas seguintes condições:

– Por pedido voluntário;

– Pela falta de pagamento da anuidade;

– Pela infração das normas estabelecidas neste regimento;

– Pelo falecimento.

Capítulo III – Da organização administrativa do regimento interno do Itemol

Art. 3º – O Diretor será nomeado pelo mantenedor cabendo ao mesmo a representação legal do ITEMOL.

Parágrafo único. O Diretor do ITEMOL para exercer os cargos definidos neste regimento deverá ter a formação superior nas áreas pedagógica e teológica em estabelecimentos reconhecidos pelo MEC.

Art. 4º – O ITEMOL é administrado pelo diretor e tendo como assessoria o Vice-diretor, o Coordenador Pedagógico, a Secretária Acadêmica e o Tesoureiro.

Parágrafo 1º: Cabe ao Diretor do ITEMOL a nomeação da assessoria e demais cargos do Instituto.

Parágrafo 2º: Cabe ao Diretor do ITEMOL a presidência da Associação de Teólogos do Itemol.

Art. 5º – Compete ao Diretor do ITEMOL representar, orientar, coordenar e zelar pelo bom funcionamento de todos os aspectos acadêmicos, espirituais, morais, sociais e administrativos do Instituto. Deverá nomear os membros de sua assessoria podendo afastá-los do cargo se ocorrer uma das seguintes hipóteses:

a) Pedido voluntário de desligamento.

b) Incapacidade moral ou doutrinária.

c) Provada a ineficiência no cargo.

c) Falecimento.

Parágrafo único – O Diretor do ITEMOL reunir-se-á com sua assessoria ordinariamente no início de cada semestre e extraordinariamente sempre que se fizer necessário.

Seção I – Do conselho consultivo

Art. 6º. O Conselho Consultivo compõe-se de 7 membros:

a) Diretor.

b) Vice-diretor.

c) Secretário Acadêmico.

d) Coordenador Pedagógico.

e) Tesoureiro.

f) Representante do Corpo Docente.

g) Representante do Corpo Discente.

Parágrafo único. Compete ao Conselho Consultivo do ITEMOL opinar sobre todas as questões políticas, administrativas, pedagógicas, financeiras e referentes aos corpos docente, administrativo e discente.

Art. 7º. Compete ao Diretor do ITEMOL:

I – Agendar e coordenar cursos em igrejas e em outras instituições de ensino teológico.

II – Contratar professores e palestrantes que forem indicados pelo Departamento Pedagógico.

III – Organizar e arquivar os dados de alunos participantes dos cursos do ITEMOL.

IV – Assinar os certificados, históricos escolares, declarações e demais documentos expedidos pelo ITEMOL juntamente com o Secretário Acadêmico.

V – Disponibilizar certificados de participações.

VI – Apresentar relatórios de cursos quando solicitados em reuniões do Conselho Diretor.

VII – Ser responsável por todos os departamentos do ITEMOL, fiscalizando os seus atos, corrigindo as falhas encontradas e atribuindo sanções aos responsáveis. Deve evitar as fraudes financeiras ou pedagógicas não permitindo que tais atos venham a prejudicar o bom nome do ITEMOL.

VIII – Compor e presidir o Conselho Consultivo.

Parágrafo único – O Vice-Diretor substituirá o diretor em seus impedimentos e terá as mesmas competências. Deverá compor o Conselho Consultivo.

Art. 8º. Compete ao Secretário Acadêmico:

a) Administrar o ITEMOL em harmonia com os seus assessores imediatos e os professores.

b) Assessorar as Comissões.

c) Promover a vida acadêmica e espiritual da instituição.

d) Organizar e coordenar com o Departamento Pedagógico os cursos regulares e especiais.

e) Organizar e manter sob sua guarda todo o arquivo da vida escolar e histórica da instituição.

f) Coordenar os serviços de registro escolar.

g) Coordenar todas as tarefas de ordem administrativa.

h) Manter a biblioteca em condições de perfeito funcionamento.

i) Supervisionar o uso do acervo existente.

j) Promover a compra de obras de interesse dos cursos por indicação do Departamento Pedagógico.

k) Assinar os certificados, históricos escolares, declarações e demais documentos expedidos pelo ITEMOL juntamente com o diretor.

l) Compor o Conselho Consultivo.

m) Chefiar a Seção de Registro Acadêmico.

Art. 9º. Compete à Comissão de Ética:

a) Observar e zelar pelo cumprimento do Código de Ética do ITEMOL.

b) Gerir e decidir sobre os processos disciplinares regulares resultantes de infração estatuária e regimental.

c) Todas as decisões e pareceres da Comissão de Ética terão unicamente valor de consulta e conselho para a diretoria e nunca valor deliberativo, exceto na aplicação das medidas disciplinares.

d) Os membros da Comissão de Ética são nomeados e exonerados pelo Diretor do ITEMOL, após submissão ao Conselho Consultivo.

e) Aplicar as medidas disciplinares, conforme previstas neste regimento.

Art. 10º. Compete ao Departamento Pedagógico:

a) Avaliar e submeter à discussão com os demais membros da assessoria do Instituto, as ações de cunho pedagógico relativas ao processo de ensino-aprendizagem.

b) Examinar os processos de ingresso e afastamento de professores e alunos. Apresentar as soluções ao diretor a quem cabe a decisão final.

c) Zelar pelo crescimento da qualidade dos cursos teológicos.

d) Cuidar da vida espiritual dos alunos.

e) Estimular e coordenar pesquisas de cunho teológico.

f) Promover culto e reunião de oração entre os alunos.

g) Realizar entrevistas e aconselhamento entre os professores e alunos.

h) Cooperar e estimular com o desenvolvimento sócio-cultural dos alunos.

i) Dirigir o andamento das aulas.

j) Coordenar o preparo, publicação e divulgação de materiais didáticos e / ou devocionais e outras atividades de extensão, nomeadamente, nos núcleos.

k) Implementar melhorias no ensino a distância (EAD) através de ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) com tecnologias modernas.

l) Buscar o autoaperfeiçoamento visando a melhoria do processo pedagógico, estando sempre a par da legislação e das inovações na área de ensino.

m) Fiscalizar a Coordenação de Ensino a Distância (CEAD).

n) Compor o Conselho Consultivo.

Parágrafo 1º. O Departamento Pedagógico é dirigido pelo Coordenador Pedagógico que deverá se formado em pedagogia ou ser um professor do ITEMOL com mais de 3 anos de experiência na docência.

Parágrafo 2º. O Departamento Pedagógico é composto pelo Coordenador Pedagógico e pelos docentes (contratados, assistentes e convidados).

Das taxas escolares

Art. 11. A fixação do valor das mensalidades ou matrícula é de competência do Diretor do ITEMOL.

Das bolsas de estudos

Art. 12. Havendo disponibilidade, mediante critérios pré-estabelecidos pelo diretor, o ITEMOL concederá bolsas de estudos às igrejas e instituições teológicas que solicitarem. Para isto o pastor ou dirigente da igreja deve enviar um e-mail e solicitar a possibilidade de concessão de bolsas de estudos aos seus membros.

Parágrafo único. O valor máximo para concessão de bolsas de estudos será de 20% do valor da mensalidades do referido curso.

Da biblioteca

Art. 13. O corpo docente e os alunos do ITEMOL poderão utilizar os serviços da biblioteca, seguindo normas e critérios estabelecidos pelo secretário.

Parágrafo único. O acervo da biblioteca constará de livros religiosos de qualquer denominação, de livros seculares, revistas, anuários, monografias, trabalhos de conclusão de curso e outros, excluindo publicações que incentivem a discriminação em qualquer nível, sejam ilegais de acordo com a lei do país, contenham pornografia, nudez (mesmo artística) e outros a critério do diretor.

Art. 14. A utilização da biblioteca terá por finalidade:

a) Proporcionar valiosa experiência social pelo treinamento da responsabilidade que decorre da utilização de um bem comum.

b) Fornecer os elementos necessários a realização e enriquecimento dos trabalhos pedagógicos, consultas e pesquisas sobre a área teológica e seculares.

Art. 15. Regulamento de Funcionamento da Biblioteca:

a) Todos os discentes e docentes podem estudar na biblioteca.

b) Os usuários da biblioteca deverão obedecer ao Regulamento de Funcionamento da Biblioteca.

c) Para haver a saída de um livro circulável será necessário a autorização e registro de saída feita pelo bibliotecário.

d) O prazo de devolução será de uma semana e o usuário que exceder esse tempo será multado no valor de 1% do salário mínimo vigente.

e) É vedada a retirada de determinados livros.

Capítulo IV – Do corpo docente

Art. 16. O ensino é ministrado por professores indicados pelo Departamento Pedagógico.

Parágrafo um – Alguns professores poderão ser convidados pelo Departamento Pedagógico ou pelo diretor para ministrarem cursos especiais ou algumas disciplinas específicas.

Art. 17. Os professores contratados e os professores assistentes estão subordinados ao Coordenador Pedagógico.

Parágrafo um – As reuniões ordinárias do Departamento Pedagógico estão previstas no calendário anual de ensino. As extraordinárias podem ser convocadas pelo Diretor ou pelo Coordenador Pedagógico para tratar de assuntos de interesse comum.

Art. 18. São direitos do corpo docente:

I – Receber tratamento cordial por parte da diretoria e dos alunos.

II – Usar de liberdade na formulação de questões e de autoridade no julgamento de exames, provas e trabalhos, respeitadas as diretrizes emanadas pelo Departamento Pedagógico.

III – Receber conteúdo das disciplinas do Departamento Pedagógico e estar sempre informado sobre as atualizações relativas ao processo pedagógico.

IV – Receber o pagamento pelas horas-aula ministradas.

V – Reprovar ou anular provas de alunos que infrinjam regulamento pertinente.

VI – Fazer-se representar, com voz e voto, no Conselho Consultivo.

Art. 19. O Representante do Corpo Docente junto ao Conselho Consultivo será eleito entre os professores no mês de dezembro, tendo posse no mês de janeiro do ano seguinte, para cumprir o mandato de dois anos, podendo ser reeleito.

Parágrafo Único – Compete ao Representante do Corpo Docente auxiliar o Conselho Consultivo com sugestões e ponderações para o bom andamento das atividades desenvolvidas no Instituto.

Art. 20. São deveres do corpo docente:

I – Cumprir as disposições deste Regimento.

II – Acatar as determinações e orientações da assessoria e do diretor.

III – Elaborar e garantir o desenvolvimento dos programas de ensino.

IV – Contribuir para que haja coleguismo nas relações interpessoais.

V – Comparecer assídua e pontualmente às aulas e demais atividades.

VI – Ministrar aulas com empenho visando dinamizar a participação do aluno no processo ensino-aprendizagem.

VII – Comunicar ou fazer comunicar suas faltas às aulas ou a outras atividades, com tempo possível para se providenciar sua substituição.

VIII – Entregar ao Coordenador Pedagógico as notas e faltas dos alunos nos prazos marcados; bem como lançá-las no Campus Virtual para acompanhamento dos discentes.

IX – Comunicar ao Coordenador Pedagógico os incidentes escolares que, pela gravidade, requeiram providências especiais.

X – Participar ativamente das solenidades e reuniões a que for convidado.

XI – Acompanhar as classes nas excursões e passeios a que for convidado.

XIII – Participar dos cursos, palestras e reuniões programadas pelo Departamento Pedagógico.

Art. 21. Cabe ao professor elaborar, juntamente com o Coordenador Pedagógico, o planejamento da disciplina e o plano de aula de acordo com o calendário anual.

Art. 22. Compete ao professor:

I – Ministrar aulas conforme o horário fixado pela assessoria cumprindo na íntegra o programa de ensino.

II – Registrar, no Diário de Classe, a frequencia dos alunos e os assuntos lecionados, mantendo em dia a escrituração dos mesmos.

III – Apresentar, pontualmente, no Departamento Pedagógico, as notas de aproveitamento dos alunos.

IV – Comparecer às reuniões dos colegiados em que faça parte.

V – Dar orientação individual ou em grupos de alunos que a solicitarem, fora do horário de aulas, segundo plano aprovado pelo Departamento Pedagógico.

VI – Cumprir e fazer cumprir este regimento e as deliberações dos órgãos colegiados.

VII – Zelar pela disciplina em classe ou fora dela;

VIII – Exercer as demais funções ou atividades que lhe são atribuídas pela natureza de seu cargo.

IX – Coordenar projetos de pesquisa e extensão de interesse da instituição.

Art. 23. É vedado ao corpo docente:

I – Propagar heresias do seu ponto de vista que venha abalar a fé cristã do corpo discente, excetuando as linhas teológicas que deverão ser conhecidas dos alunos, objetivando a refutação.

II – Discriminar as diversas denominações evangélicas em sala de aula.

III – Promover discussões teológicas que venham comprometer o aproveitamento acadêmico.

IV – Usar de parcialidade com os alunos.

V – Promover discórdia entre os alunos e a Direção ou a Igreja.

VI – Humilhar e envergonhar qualquer aluno perante a classe.

VII – Caluniar ou desrespeitar membros da assessoria ou o diretor.

VIII – Permitir que alunos promovam tumultos em sala de aula.

IX – Ofender moralmente qualquer aluno.

X – Ter acesso aos documentos sigilosos da secretaria.

XI – Se apropriar de livros da biblioteca, objetos do ITEMOL ou documentos da secretaria sem a devida permissão.

XII – Propagar ou externar notícias tendenciosas, não verídicas, que venham comprometer o bom nome do ITEMOL.

XIII – Incentivar alunos a conspirar contra a boa ordem e administração do ITEMOL.

XIV – Vender qualquer tipo de material sem autorização do diretor.

Art. 24. A destituição de membro do corpo docente somente pode ocorrer quando houver:

I – Pedido voluntário de desligamento.

II – Exclusão da Igreja a que pertence (para os cursos da área teológica).

III- Divergências das doutrinas esposadas pelo ITEMOL.

IV – Falecimento.

Capítulo V – Do corpo discente

Art. 25. O corpo discente é constituído dos alunos regularmente matriculados e dos alunos especiais.

Parágrafo um – Os alunos estão sujeitos a orientação do ITEMOL na pessoa da assessoria e dos professores, integrando-se na vida acadêmica com o objetivo de adquirir o preparo intelectual e espiritual necessário ao exercício de um ministério eficaz.

Art. 26. Os alunos estarão sujeitos ao desligamento quando ocorrer:

I – Comportamento incompatível com as normas sociais e leis vigentes no país.

II – A não renovação da matrícula dentro do prazo limite estabelecido.

III – Débito de mais de 3 (três) mensalidades.

IV – Falta prevista neste Regimento que após apuração da comissão ética seja considerada grave.

V – Falecimento.

Art. 27. São direitos do aluno:

I- Receber tratamento compatível com a ética e o decoro por parte do corpo docente e da direção.

II – Ser bem assistido pelo corpo docente, recebendo todas as informações sobre qualquer assunto da disciplina ministrada, bem como ter suas dúvidas sanadas.

III – Receber a melhor formação acadêmica possível.

IV – Requerer, junto ao Departamento Pedagógico, a correção de provas caso não esteja de acordo com o resultado.

V – Receber provas devidamente corrigidas;

VI – Receber boletim semestral do resultado das avaliações com especificação das disciplinas.

VII – Requerer transferência para outro seminário teológico ou faculdade de ensino religioso.

VIII – Requerer trancamento de matrícula em tempo hábil.

IX – Receber documento comprobatório do pagamento financeiro de suas obrigações com o ITEMOL.

X – Ter 15% (quinze por cento) das faltas abonadas em cada disciplina em um semestre letivo.

XI – Receber calendário escolar com as datas das avaliações (provas).

XII – Receber identificação escolar em PVC mediante indenização para confecção.

XIII – Requerer o certificado de conclusão de curso e histórico escolar e recebê-lo num prazo de, no máximo, 6 (seis) meses após a conclusão do curso, estando em dia com suas obrigações financeiras.

XIV – Fazer-se representar, com voz e voto, no Conselho Consultivo.

Parágrafo 1º. O Representante do Corpo Discente junto ao Conselho Consultivo será eleito entre os alunos no mês de dezembro de cada ano, tendo posse no mês de janeiro do ano seguinte, para cumprir o mandato de dois anos, podendo ser reeleito.

Parágrafo 2º. Compete ao Representante do Corpo Discente auxiliar o Conselho Consultivo com sugestões e ponderações para o bom andamento do ITEMOL.

Art. 28. São deveres do aluno:

I – Comparecer assídua e pontualmente às aulas.

II – Aguardar o professor dentro da sala de aula.

III – Tratar professores e funcionários com urbanidade.

IV – Acatar ordens e recomendações emanadas da direção.

V – Manter-se cordialmente no trato com os colegas.

VI – Manter um comportamento compatível com a vida cristã.

VII – Zelar pelo edifício, pelas instalações escolares, pelo material didático, pelos móveis e utensílios do ITEMOL, colaborando com a direção na conservação e limpeza.

VIII – Colaborar ativamente no processo ensino-aprendizagem.

IX – Manter em dia suas obrigações financeiras com o ITEMOL.

X – Comunicar-se com a secretaria, em caso de desistência, requerendo trancamento de matrícula.

XI – Ter, no mínimo, 75% (setenta e cinco por cento) de frequencia às aulas de cada disciplina em cada semestre letivo.

XII – Respeitar o professor dentro ou fora da sala de aula.

XIII – Manter sigilo sobre assuntos internos de ordem administrativa do ITEMOL.

XIV – Assistir às aulas em silêncio, mantendo a postura e pedindo a palavra caso queira questionar, discordar ou concluir assunto em questão, desde que autorizado pelo professor.

XV – Comparecer às solenidades e festividades do ITEMOL e delas participar ativamente.

XVI – Caso o pagamento da mensalidade não seja efetivado até o dia 10 de cada mês será acrescido juros de acordo com legislação em vigor e terá o seu acesso bloqueado ao campus virtual em caso de atraso por mais de 2 meses, consecutivos ou não.

Art. 29. É vedado ao aluno:

I – Propagar notícias tendenciosas, não verídicas, comprometendo o bom nome do ITEMOL.

II – Sair da sala de aula sem a permissão do professor.

III – Promover tumulto que venha comprometer o aproveitamento acadêmico.

IV – Se alimentar em sala de aula ou em horário de aulas.

V – Namorar nos corredores ou dependências do ITEMOL.

VI – Ter acesso à secretaria, Departamento Pedagógico sala dos professores, a sala da direção e outras dependências, exceto as salas de aulas e lugares comuns, sem a devida permissão.

VII – Deixar de assistir às aulas estando presente nas dependências do prédio, salvo quando autorizado pelo professor ou pela direção.

VIII – Promover ruídos desnecessários nas dependências do ITEMOL;

IX – Promover discórdia e semear contenda entre os alunos, professores e a direção.

X – Ocupar-se, durante as aulas, com qualquer atividade extracurricular.

XI – Organizar coletas ou vendas de quaisquer objetos.

XII – Se apropriar de livros e revistas da biblioteca ou qualquer objeto do ITEMOL.

XIII – Difamar ou caluniar professores, diretor e funcionários do ITEMOL.

XIV – Desrespeitar professores, diretor e funcionários do ITEMOL.

XV – Usar atos ilícitos para realização da prova, tais como manusear objetos, materiais eletrônicos ou de telefonia que impliquem na consulta a material não autorizado.

Capítulo VI – Regime escolar

Seção I – Dos cursos

Art. 30. O ITEMOL oferecerá os seguintes cursos:

a) Cursos na área de teologia;

b) Cursos na área de pedagogia.

Parágrafo único. O ITEMOL poderá criar outros cursos, seminários e encontros dentro da sua finalidade.

Art. 31. A fim de habilitar pessoas para atividades eclesiais e pedagógicas  o ITEMOL fornecerá:

a) Um ambiente espiritual e social para a complementação do caráter cristão.

b) Disciplinas, seminários e encontros para a formação teórica e conceitual da teologia e da pedagogia.

c) Oportunidades disponibilizadas através de atividades visando a formação prática da teologia e da pedagogia, isto é, o aperfeiçoamento de competências e habilidades para o desempenho funcional.

Seção II – Da matrícula

Art. 32. Serão admitidos no ITEMOL alunos regulares e especiais. No primeiro caso os candidatos se propõem a concluir um dos cursos oferecidos por essa instituição. Os alunos especiais serão aqueles admitidos para cursarem apenas uma ou mais disciplinas oferecidas. A admissão, em ambos os casos, se dará mediante a solicitação à direção do ITEMOL indicando o curso (para alunos regulares) e a disciplina (para alunos especiais) do seu interesse. Serão ainda exigidos os seguintes requisitos para a admissão dos alunos:

– Declaração de concordância com o regimento interno do ITEMOL.

a. As exigências de matrícula para os cursos são:

I – possuir e-mail e acesso a internet.

II – Possuir o ensino fundamental.

III – Ter, no mínimo, 18 anos.

IV – Entregar a documentação necessária na secretaria.

V – Realizar o pagamento das taxas necessárias.

VII – Após a conclusão do curso com aproveitamento realizar o pagamento da taxa de confecção e envio de certificado.

b. As exigências de matrícula são:

I – possuir e-mail e acesso a internet.

II – Possuir o ensino superior para os cursos pós-avançados.

III – Possuir o ensino médio (antigo 2º grau) para o Curso Avançado em Teologia (Bacharel Livre).

IV – Possuir o ensino fundamental (antigo 1º grau) para os demais cursos.

V – Ter, no mínimo, 18 anos.

VI – Ser aprovado em processo seletivo.

VII – Entregar a documentação necessária na Secretaria.

VIII – Realizar o pagamento das taxas previstas.

IX – Após a conclusão do curso com aproveitamento realizar o pagamento da taxa do requerimento de confecção e envio de certificado.

Art. 33. Os alunos admitidos no ITEMOL farão sua matrícula no período determinado ficando vinculados ao curso escolhido. Esta matrícula será feita obedecendo-se os seguintes princípios:

a) O período de inscrição nos cursos será determinado pelo calendário do ITEMOL.

b) A matrícula em qualquer disciplina só será efetuada após cumprimento dos requisitos necessários.

c) Ao final de cada semestre letivo os alunos farão sua rematrícula para o período seguinte.

d) A falta de renovação da matrícula no final de qualquer semestre letivo equivalerá ao abandono do curso com desligamento automático.

Art. 34. No ato da matrícula o aluno deverá apresentar os seguintes documentos:

a) Comprovante da taxa de matrícula.

b) Cópia do certificado de conclusão do ensino fundamental e histórico escolar (para os cursos Básico e de Capacitação), do certificado de conclusão de ensino médio e histórico escolar (para o curso avançado em teologia) e do certificado (diploma) de conclusão de graduação e histórico escolar (para os cursos pós-avançados).

c) Cópia da carteira de identidade e CPF.

d) Cópia da certidão de nascimento ou casamento.

e) Cópia do comprovante de endereço.

f) Duas fotografias 3×4.

g) Cópia do título de eleitor e comprovante de votação do último pleito.

h) Cópia do comprovante de quitação do serviço militar (somente para o sexo masculino).

i) Preencher o formulário fornecido pela secretaria.

Parágrafo único – Para admissão e matrícula de alunos especiais exigir-se-á o requerimento, o comprovante da taxa de matrícula e o preenchimento do formulário próprio.

DO TRANCAMENTO DE MATRÍCULA

Art. 35. O aluno que, por motivo justo e devidamente comprovado, não puder frequentar as aulas poderá interromper seus estudos solicitando à Diretoria do ITEMOL o trancamento de sua matrícula no prazo de (90) noventa dias, contado a partir do dia da matrícula e observando as seguintes normas:

a) O trancamento de matrícula será concedido apenas três vezes ao mesmo aluno.

b) O trancamento de matrícula não terá validade para o semestre solicitado.

c) Os períodos trancados não serão computados para qualquer efeito, e implica na perda total das taxas pagas.

DO DESLIGAMENTO

Art. 36. Haverá o cancelamento da matricula e desligamento de qualquer aluno nas seguintes situações:

a) Quando o aluno ausentar-se das aulas, sem justa causa, por período superior a 60 (sessenta) dias, caracterizando, assim, o abandono do curso (condição aplicada aos alunos dos cursos presenciais ou semipresenciais).

b) A pedido.

c) Conduta incompatível com o padrão da instituição.

d) Conclusão no curso frequentado.

e) Falecimento.

DA TRANSFERÊNCIA

Art. 37. Alunos de outras instituições congêneres poderão solicitar transferência para um dos cursos oferecidos pelo ITEMOL havendo vaga e nos prazos estipulados para a matrícula, mediante solicitação dirigida a secretaria do ITEMOL munidos dos seguintes documentos:

a) Histórico Escolar.

b) Programa das disciplinas cursadas com as respectivas cargas horárias.

c) Declaração de concordância com o regimento interno do ITEMOL.

d) Os exigidos para a matrícula normal.

e) Poderão ser aproveitados os créditos cursados em outras instituições teológicas de ensino, a critério do Departamento Pedagógico.

Capítulo VII – Do regime pedagógico e didático

Art. 38. Os professores levarão em conta, na ação pedagógica, as seguintes orientações:

a) Não perder de vista o objetivo dos cursos, haja vista que não se pretende ensinar tudo ao estudante. Pretende-se abrir sua visão para o campo da teologia e da teologia aplicada ao exercício do ministério e aos estudos posteriores, bem como formar nele o hábito e a técnica do estudo para que, ao sair, então comece ele realmente a ser um estudante.

b) Despertar no estudante o senso da responsabilidade pessoal na sua própria formação cultural.

c) Levar o estudante à formação da mentalidade de pesquisas dos problemas em pauta nas diversas disciplinas.

d) Ensinar o estudante a encontrar a bibliografia da disciplina lecionada e utilizar os livros e apostilas tanto no que se refere à aquisição de cultura como no que diz respeito à técnica.

e) Estimular o estudante a criar soluções pessoais e a evitar a pura repetição do que ensinam os autores ou o próprio professor.

f) Levar o aluno a não limitar sua produção ao necessário à aprovação nas disciplinas, mas a produzir com o objetivo de construir o fundamento de sua cultura durante o curso.

g) Incentivar o estudante a produzir trabalhos originais para serem dados à publicidade.

Art. 39. O ano letivo é dividido em dois períodos, isto é, em dois semestres: de Janeiro a Junho e de Julho a Dezembro.

Art. 40. Com exceção dos cursos que funcionam no sistema EAD, a frequência às aulas é obrigatória.

Parágrafo 1º – Não logrará aprovação na disciplina o aluno que comparecer a menos de 75% (setenta e cinco por cento) das aulas ministradas durante o semestre.

Parágrafo 2º – O aluno que ultrapassar o limite de 25% (vinte e cinco por cento) de faltas durante o semestre, por qualquer motivo, deverá que repetir a disciplina.

Seção I – Da aprovação

Art 41. A avaliação do desempenho do aluno se fará por meio de notas de 0 (zero) a 10 (dez) e seus décimos, atribuídos aos métodos de avaliação aplicados pelos professores e a frequência.

Parágrafo 1º – São condições mínimas para a aprovação em uma disciplina:

a) Será aprovado na disciplina o aluno que obtiver uma média final igual ou superior a 7,0 (sete vírgula zero).

b) O comparecimento igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) nas aulas dadas (para os cursos presenciais).

Parágrafo 2º – São condições mínimas para a aprovação em um curso:

a) Pós-Avançado e Avançado em Teologia – Obter média igual ou superior a 7,0 (sete vírgula zero) em todas as disciplinas componentes da matriz curricular (grade curricular).

b) Demais cursos – Obter média igual ou superior a 7,0 (sete vírgula zero) em todas as disciplinas componentes da matriz curricular (grade curricular).

Parágrafo 3º – Nos cursos avançados os alunos que ficarem reprovados em até 3 disciplinas por semestre poderão solicitar uma 2ª chamada de prova nas disciplinas que não atingiu a aprovação (nota igual ou superior a 7,0). A reprovação em mais de 3 disciplinas no semestre invalidarão o mesmo e o aluno deverá cursá-lo novamente. Neste caso não haverá isenção das disciplinas em que foi aprovado.

Parágrafo 4º – Para os alunos que estão obrigados a realizar o trabalho de conclusão de curso (TCC)  e o Estágio Supervisionado poderão concluí-los, em até 2 anos, após o término do último período cursado. Cumprido os 2 anos, o curso perderá a  validade.

Capítulo VIII- Da colação de grau

Art. 42. Poderá colar grau em sessão solene o aluno que tiver cumprido cabalmente todos os requisitos exigidos pela direção da escola.

Parágrafo único – Para entrar em formatura o aluno deve estar em dia com a secretaria e tesouraria do ITEMOL.

Art. 43. Regulamento para as formaturas:

a) Os certificados serão entregues em reunião solene, denominada festa de formatura, que será, por sua própria natureza, um culto de Ação de Graças a Deus.

b) O presidente da mesa será o Diretor do ITEMOL.

c) O mestre de cerimônia de formatura será um professor indicado pelo Departamento Pedagógico.

d) O programa de formatura será organizado, conjuntamente, pelo Departamento Pedagógico e por uma representação de formandos.

e) O modelo do convite ficará a cargo da comissão de alunos, sendo submetido a apreciação do Coordenador Pedagógico.

f) As becas serão emprestas aos alunos mediante cautela de responsabilidade.

g) Se o paraninfo escolhido não for professor da escola deve ser submetido à aprovação do Departamento Pedagógico.

h) A data para a festa de formatura será sugerida pelo Departamento Pedagógico e aprovada / fixada pelo diretor, observando-se o calendário anual.

Capítulo IX – Do regime disciplinar

Seção I – Da comissão ética e medidas disciplinares

Art. 44. A Comissão Ética do ITEMOL é um órgão deliberativo que tem o caráter disciplinador e será constituída pelos seguintes membros:

a) Diretor.

b) Vice-diretor.

c) Secretário.

d) Coordenador Pedagógico.

e) Tesoureiro.

f) Representante do Corpo Docente.

g) Representante do Corpo Discente.

Art. 45. O mantenedor só fará parte da Comissão de Ética quando forem examinados ou analisados os atos do Diretor do ITEMOL.

Art. 46. Compete a Comissão de Ética:

I – Cumprir e fazer cumprir o regime disciplinar do ITEMOL.

II – Examinar os casos em há suspeitos de fraudes administrativas.

III – Examinar a postura docente em caso de denúncia.

IV – Examinar as posturas do docente em sua prática profissional, enquanto professor do ITEMOL.

V – Examinar as posturas do discente em sua prática profissional, enquanto aluno da ITEMOL.

VI – Examinar e se pronunciar a quanto ética profissional e confessional dos cursos do ITEMOL, velando que não violem os estatutos previstos nas diversas ordens profissionais existentes no país.

VII – Examinar a conduta profissional dos docentes do ITEMOL, se pronunciando, quando reunida, para analisar a situação dos mesmos.

VIII – Analisar e julgar o desligamento de alunos ou ao desligamento de professores.

IX – Receber e julgar os recursos recebidos dentro do prazo referentes à aplicação de medidas disciplinares.

Art. 47. Caberá à Comissão de Ética a responsabilidade pela fiel observância dos preceitos condizentes com a ordem e dignidade do ensino.

Art. 48. Cabe à Comissão de Ética a fiscalização e aplicação das medidas disciplinares do regime disciplinar.

Art. 49. O pessoal dos corpos docente, administrativo e discente estão sujeitos ao regime disciplinar do ITEMOL, subordinando-se as seguintes normas gerais:

I – As medidas disciplinares são:

a) Advertência – aviso verbal e recomendações sobre suas atitudes.

b) Repreensão – aviso por escrito e recomendações sobre suas atitudes.

c) Suspensão – Perda do direito de ministrar/assistir as aulas por um período de até 5(cinco) dias.

d) Desligamento.

II – As medidas especificadas nas letras a), b) do inciso anterior serão de competência do Diretor do ITEMOL.

III – As medidas especificadas na letra c), d) do inciso I serão da competência da Comissão de Ética.

Art. 50. Das medidas disciplinares aplicadas pelo Diretor do ITEMOL caberão recursos, sendo a Comissão de Ética a última instância acadêmica em matéria de disciplina. O prazo de entrada do recurso será de 5(cinco) dias úteis após a publicação da punição em portaria da diretoria.

Art. 51. Somente membros em comunhão de uma igreja evangélica podem exercer as funções previstas neste regimento, com exceção do corpo discente. Deverão apresentar a habilitação que os credenciem ao ensino da disciplina a que se propõe e ao apoio administrativo.

Art. 52. A aplicação de medidas disciplinares ao diretor será imposta pelo mantenedor através de comunicação da Comissão de Ética.

Capítulo X – Da tesouraria

Art. 53. Os Tesoureiros devem ter as seguintes qualificações:

I – Filiação a Igreja Evangélica.

II – Formação compatível com o nível da função.

Art. 54. Compete aos Tesoureiros:

I – Receber os valores e mensalidades registrando no livro caixa do ITEMOL.

II – Garantir a eficiência, pontualidade, regularidade e legalidade das atividades da tesouraria.

III – Velar pela pontualidade de todos os compromissos financeiros autorizados pelo diretor, manter cadastro aceitável junto aos fornecedores, instituições financeiras e de proteção ao crédito.

IV – Apresentar relatórios mensais e anual na reunião da diretoria e Conselho Consultivo.

V – Fornecer a Secretaria Acadêmica, mensalmente, a relação dos alunos inadimplentes.

VI – Fazer cobrança das mensalidades e outros valores atrasados.

VII – Movimentar contas bancárias juntamente com o diretor.

VIII – Fazer balancete anual para apreciação do diretor e competente apresentação ao Conselho Consultivo.

IX – Responsabilizar-se por cumprir com compromissos que onerem juros e preocupar-se por sua pontualidade. Deve persistir em encontrar todo e qualquer erro de escrita e primar sempre pela documentação legal.

Parágrafo único. Compete ao 2º Tesoureiro auxiliar o 1º Tesoureiro em todas as suas atribuições e substituí-lo nas ausências e impedimentos.

Capítulo XI – Dos cursos a distância

Art. 55. Serão oferecidos no sistema de ensino a distância os mesmos cursos presenciais com a mesma qualidade.

Art. 56. Não haverá nenhuma inscrição nos certificados do ITEMOL referenciando que o curso foi realizado a distância.

Parágrafo único. Aplicas-se aos alunos dos cursos a distância as mesmas condições de desligamento previsto no Art. 36, com exceção do descrito na letra a.

 

ABANDONO DE CURSO

Art. 57. Será considerado abandono de curso aquele aluno que o sistema detectar como inoperante após 7 dias corridos sem acesso ao campus virtual, isto é, depois de 7 (sete) dias de inatividade no campus virtual o sistema bloqueia automaticamente o acesso.

Parágrafo único. Para retomar os estudos o aluno deverá pagar o valor vigente de uma taxa de rematrícula.

 

Capítulo XII – Da coordenação dos cursos a distância (CEAD-ITEMOL)

Art. 58. Compete ao Coordenador de Ensino a Distância (Coord CEAD):

a) Avaliar e submeter à discussão com os demais membros da diretoria da escola as ações de cunho pedagógico relativas ao processo de ensino-aprendizagem no ensino a distância.

b) Manter ligação com Departamento Pedagógico.

c) Zelar pelo crescimento da qualidade dos cursos teológicos a distância.

d) Zelar pela vida espiritual dos alunos.

e) Estimular e coordenar pesquisas de cunho teológico.

f) Cooperar e estimular com o desenvolvimento sócio-cultural dos alunos.

g) Fiscalizar as atividades de ensino a distância velando pela qualidade de ensino e pelo o bom andamento das aulas.

h) Coordenar o preparo, publicação e divulgação de materiais didáticos e / ou devocionais e outras atividades de extensão, nomeadamente, nos núcleos.

i) Implementar melhorias no ensino a distância (EAD) através de ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) com tecnologias modernas.

j) Buscar o autoaperfeiçoamento visando a melhoria do processo pedagógico, estando sempre a par da legislação e das inovações na área do ensino a distância.

k) Fiscalizar, diariamente, o ambiente virtual de aprendizagem, verificando os acessos de todos os participantes e notificando aqueles que não estão acompanhando as aulas virtuais.

Art. 59. A Coordenação de Ensino a Distância é composto pelo Coord EAD e pelos docentes capacitados em ambientes virtual de aprendizagem (AVA).

Art. 60. Os alunos do EAD estão sujeitos a este regimento no que for aplicável.

Capítulo XIII – Registro acadêmico

Art. 61. Compete a Seção de Registro Acadêmico:

a) registrar os diplomas e certificados expedidos em livro específico;

b) arquivar os documentos da secretaria do ITEMOL.

Capítulo XIV – Isenção de disciplinas

Art. 62. É possível a isenção de disciplina para o Curso Avançado em Teologia (Bacharel Livre), desde que o estudante requeira na Secretaria, nos prazos estipulados pelo calendário acadêmico, anexando toda a documentação necessária (histórico escolar e programa das disciplinas que pretende isenção).

Parágrafo 1º. Não haverá redução no valor do curso, do período, das parcelas ou das mensalidades caso haja isenção de disciplinas.

Parágrafo 2º. Para solicitação de isenção de disciplinas da área teológica o curso deve ter sido concluído em até 5 anos.

Parágrafo 3º. Para isenção de disciplinas em cursos não concluídos (histórico escolar parcial) o mesmo deverá ter sido interrompido em até 2 anos.

Parágrafo 4º. O aluno poderá ser isento no máximo de 20% da grade curricular do Instituto.

Parágrafo 5º. As resoluções acima são exclusivas do Curso Avançado em Teologia (Bacharel Livre). Os demais cursos do Instituto não são contemplados com a isenção de disciplinas.

Art. 63. O ITEMOL não está obrigado a aceitar ou isentar disciplinas cursadas pelos alunos em outras instituições de ensino.

Art. 64. Poderá ser concedida a isenção de disciplina quando o aluno:

I – Já houver cursado em estabelecimento de ensino reconhecido pelo Conselho Nacional de Educação, disciplina com programa equivalente em conteúdo e orientação, tendo sido aprovado;

II – Nas mesmas condições do inciso I, tiver sido aprovado em duas ou mais disciplinas que, em conjunto, sejam consideradas equivalentes, em conteúdo e orientação, a uma disciplina do Curso Avançado em Teologia (Bacharel Livre) do ITEMOL.

Art. 65. Não será concedida a isenção de disciplina quando:

I – Não for reconhecida a equivalência entre o efetivo conteúdo do programa ministrado ao aluno e o da disciplina cuja dispensa é pretendida ou quando a orientação do ensino não é equivalente em ambas as disciplinas.

II – Alguma das disciplinas cursadas já tiver sido utilizada como razão para dispensa de outra disciplina do Curso Avançado em Teologia (Bacharel Livre) do ITEMOL.

III – O aluno solicitar isenção em disciplina que tenha sido reprovado.

IV – A disciplina possuir carga horária inferior a da disciplina que solicitou isenção.

V – Quando tiver cursado a disciplina da área teológica que solicita a dispensa há mais de 5 anos.

VI – Quando solicitar isenção de uma disciplina de curso que não foi concluído em que se passou mais de 2 anos após a interrupção do mesmo.

Capítulo XX – Da associação de teólogos e capelães

Art. 66. A associação de teólogos e capelães visa realizar um debate amplo sobre a teologia, sua apologia e aplicabilidade na sã doutrina da igreja de Cristo, bem como realizar a obra missionária em locais de internação coletiva, comunidades cristãs, congregações ou igreja em qualquer parte do território nacional.

Parágrafo 1º. Não é a finalidade da associação de teólogos e capelães registrar ou fiscalizar o exercício profissional, visto que, não entendemos que a teologia ou a capelania seja uma profissão, mas uma vocação.

Paágrafo 2º. A ATCI é exclusiva dos alunos formados no Instituto Teológico Monte das Oliveiras.

Art. 67. A associação de teólogos e capelães deseja contribuir para a publicação e divulgação dos resultados de pesquisas dos membros filiados.

Art. 68. A associação de teólogos e capelães deseja incentivar e apoiar a educação e a pesquisa teológica, propiciando aos seus membros palestras, cursos, seminários, congressos, simpósios, workshops, bem como, publicações qualitativas tendo como objeto de estudo a teologia.

Dos membros da associação

Art. 69.  São direitos dos membros da associação teólogos e capelães:

I – Participar dos Encontros Anuais sem o pagamento da taxa de inscrição.

II – Receber a carteira de identificação de filiado como teólogo e/ou a credencial de capelão após o pagamento da anuidade.

III – Receber o certificado de filiação como teólogo e/ou capelão, após o pagamento da anuidade, que terá a mesma validade da credencial ou da carteira de identificação de filiado.

IV – Somente os teólogos e capelães registrados e em dia com suas obrigações com a associação poderão utilizar a sua carteira de identificação ou credencial.

Parágrafo único. Nos Encontros Anuais o transporte até a sede do Instituto e a hospedagem serão por conta do interessado.

Art. 70. São deveres dos membros da associação:

I – contribuir para divulgação de trabalhos apologéticos que visam defender a integridade das Sagradas Escrituras;

II – obedecer ao regimento da associação;

III – realizar trabalhos de capelania em hospitais, escolas, presídios, etc.

IV – realizar o seu cadastro, como capelão ou teólogo, nos locais de internação coletiva para que tenham livre acesso, seguindo as orientações destas instituições.

V – contribuir pontual e regularmente com suas anuidades.

Art. 71. É vedado aos membros da associação:

I – vincular-se a movimentos que venham ferir os princípios bíblicos;

II – descumprir as normas regimentais.

III – usar indevidamente sua credencial.

IV – deixar de seguir as normas dos locais onde estarão visitando para realizar a obra missionária.

Parágrafo único. Os membros filiados estarão sujeitos a Comissão de Ética do  ITEMOL no que for aplicável.

Art. 72. Perderão a condição de membros da associação os infratores da letra b) do Nr 3) do Art 2º deste Regimento.

Parágrafo 1º. O membro filiado não tem vínculo trabalhista com o Instituto.

Parágrafo 2º. Não haverá representação federal, estadual ou municipal da associação de teólogos e capelães.

Parágrafo 3º. Todos os filiados estarão na situação de membros contribuintes.

Do pagamento de anuidade

Art. 73. As anuidades deverão ser pagas até 30 dias antes do término da validade da credencial.

Parágrafo único. A contagem do tempo para anuidade inicia na data de pagamento da 1ª inscrição.

Da inscrição

Art. 74.  Para tornar-se membro da associação o interessado deverá:

1) Enviar os seguintes documentos, aos cuidados da Associação de Teólogos e Capelães:

a) Ficha de Inscrição – Baixar ficha;

b) Cópia da carteira de identidade e CPF;

c) Cópia do comprovante de residência;

d) Cópia do certificado do curso de teologia e/ou capelania. Caso não apresente este documento será filiado na condição de estudante.

e) Realizar o pagamento da anuidade em: http://www.itemol.in/pagamento-de-anuidade-associacao-de-teologos-itemol-renovacao.

f) 3 fotos 3×4 (papel liso com fundo branco).

Observação:

– Não aceitaremos pedidos de inscrição com documentos faltando, com exceção do documento listado na letra d) .

2) Tipos de associados:

a) Teólogo – Nível Básico: para o portador de certificado do Curso Básico de Teologia;

b) Teólogo – Nível Médio: para o portador de certificado do Curso Médio de Teologia;

c) Teólogo – Nível Superior/Avançado: para o portador de certificado do Curso de Bacharel em Teologia ou equivalente;

d) Capelão Evangélico: para o portador de certificado do Curso de Capelania. Não equivale ao cargo eclesiástico de Pastor.

Parágrafo único: Benefícios – somente para os filiados em dia com sua anuidade.

  1. Terá isenção da taxa de inscrição nos Encontros Anuais de Teologia na sede do Instituto.
  2. Poderá publicar seus textos, artigos e notícias evangélicas diretamente no site do Instituto.
  3. Poderá publicar os eventos de sua igreja diretamente no site do Instituto.
  4. Terá seu nome na página do Instituto indicando sua condição de membro filiado.
  5. Dependendo da qualidade dos seus textos e das visitas recebidas poderá ser promovido a condição de colunista que dará grande destaque ao seu trabalho.

Art. 75. No pagamento da anuidade estará incluído a confecção e envio do certificado de filiação do membro.

Art. 76. No pagamento da anuidade estará incluído a confecção e envio da carteira de identificação do membro.

Art. 77. O valor da anuidade estará disponível na loja virtual do Instituto.

Parágrafo único. O pagamento da anuidade será realizado via loja virtual do Instituto.

Capítulo XXI – Das disposições finais

Art. 78. Este regimento poderá ser modificado pelo Diretor do ITEMOL devendo toda reforma ter o parecer do Departamento Pedagógico.

Art. 79. Os casos omissos neste regimento serão resolvidos: – “os de natureza pedagógica e didática pelo Departamento Pedagógico” e os “de ordem administrativa pela assessoria” ambos sob orientação do Diretor do ITEMOL.

Art. 80. Os corpos docente e discente terão representação com direito à voz e a voto no Conselho Consultivo.

Art. 81. A possibilidade de convalidação do Curso Avançado de Teologia (Bacharel Livre) fica condicionada a manutenção da legislação atual do MEC. Em caso de revogação do parecer 063/2004 do CNE/CES (http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/pces0063_04.pdf), o qual é cumprido integralmente por esta instituição de ensino, não caberá ao ITEMOL a manutenção da possibilidade de convalidação, ficando desde já os ALUNOS cientes que se desejarem ter o reconhecimento do seu curso pelo MEC deverão procurar uma instituição com o curso reconhecido e atender as suas normas. Não é possível garantir o aproveitamento dos créditos cursados no ITEMOL, pois estas regras são definidas pelas próprias instituições superiores de ensino.

Art 81. O Parecer CNE/CES nº 60/2014, de 12/3/2014 revogou a possibilidade de convalidação dos cursos livres de teologia.

Art. 82. Havendo a revogação do amparo que trata o artigo anterior, caso os alunos queiram desistir do curso, os valores pagos não serão devolvidos, já que os serviços educacionais foram prestados e o aluno concordou em estudar de acordo com a legislação atual.

Art. 83. Ao realizar o pagamento de inscrição ou matrícula o candidato firma um contrato de aceitação com ITEMOL significando que:

a) declara que as informações biográficas inseridas na loja virtual são verdadeiras;

b) que concorda com o contrato educacional;

c) que leu e entendeu as orientações dos cursos pretendidos.

Art. 84. Qualquer pessoa que satisfaça as condições de matrícula poderá se candidatar e frequentar os cursos do ITEMOL, porém os alunos precisam estar cientes de que o Instituto, os professores e a filosofia dos mesmos obedecem as doutrinas evangélicas da linha protestante, tendo por base os ensinamentos e a ortodoxia bíblica.

Parágrafo único. Todas as orientações doutrinárias terão por base a Bíblia de Estudo Pentecostal versão Almeida revista e corrigida (ARC), © Copyright 1995 – Rio de Janeiro: CPAD.

Art. 85. As dúvidas mais frequentes relativas aos cursos e ao Instituto estão disponíveis em: https://itemol.com.br/site/duvidas-mais-frequentes/

Art. 86. O campus virtual é um ambiente virtual de aprendizagem (AVA) informatizado. Todos os acessos são identificados através de IP, hora, local, nome de usuário e senha pessoal, ficando estas informações gravadas no sistema para uma possível consulta.

Art. 87. A forma de comunicação principal do campus virtual é o e-mail, portanto ao informar o mesmo o candidato deve ter a ATENÇÃO de ESCREVÊ-LO CORRETAMENTE no formulário de matrícula. Não aceitaremos reclamações baseadas em informações erradas na grafia do e-mail.

Parágrafo 1º. Caso ultrapasse o prazo de 2 dias úteis nas respostas aos e-mail o candidato deverá entrar em contato com o ITEMOL, pois provavelmente ocorreu o erro de grafia do e-mail ou o servidor do candidato retornou o e-mail por algum motivo.

Parágrafo 2º. Não utilize e-mail dos seguintes provedores: BOL e UOL, pois os mesmos apresentam anti-spam que bloqueiam as mensagens enviadas pelo campus virtual.

Parágrafo 3º. Crie um e-mail especialmente dedicado ao curso, de preferência, GMAIL (ou HOTMAIL) para receber suas mensagens do campus virtual.

Art. 88.  Nos Encontros Anuais serão discutidos os rumos, a abrangência, a participação na sociedade civil da associação de teólogos e capelães.

Art. 89. Este regimento entra em vigor na data da sua aprovação.

Rio de Janeiro, 21 de fevereiro de 2011

Última atualização: 24/08/2015

Instituto Teológico Monte das Oliveiras

Itemol: desde 2007 formando obreiros aprovados.

“Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino.” Rm 12.7

“O meu povo foi destruído porque lhe faltou conhecimento.” Os 4.6